domingo, 29 de junho de 2008

Hamlet e a moda



Fui ao teatro na sexta ver a peça que todo mundo quer ver - só se falava dela nos cadernos culturais e as críticas eram maravilhosas. Wagner Moura como Hamlet? Parecia, no mínimo, promissor. Não gostei. Mas não sou crítica de teatro, certo? Sou jornalista de moda. Então, vamos falar dela. O figurino by Osklen (alguém me corrija se eu estiver errada, mas o formato dos tênis, das calças e dos tricôs são bem suspeitos) me irritou - não que eu ache que eles deveriam estar vestidos como no século XVII, mas essa tentativa de "atualizar" as coisas sempre me soam falsas. O vestido transparente de Ofélia - sem nada por baixo -, idem. Sempre tem que ter uma pelada? O paletó meio dourado do rei da Dinamarca? Não convenceu. Enfim, uma pena. Como leiga, acho que eles derraparam demais nas gracinhas - não só do figurino, mas dos gestos, pulinhos e gritinhos exagerados (a platéia ria com Wagner e ele parecia mais preocupado em entreter do que em mostrar o tormento de Hamlet). E uma quase insuportável câmera filmando tudo e mostrando tudo em telão. Se Hamlet é uma peça sobre o teatro, como disse Aderbal Freire-Filho, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, o teatro se preocupou muito em reforçar essa idéia.

3 comentários:

lavieenrose disse...

Adicionei, pode??? :)

Rachel disse...

Concordo. As "gracinhas" da peça são bem irritantes. Não entendi todo o auê em torno dessa montagem.

Theodora disse...

Fiquei mais curiosa ainda pra ver a peça.
Vc já viu o filme com o Ethan Hawke? Achei muito bom. E não tem gracinhas. Rs