quarta-feira, 25 de junho de 2008

Manual de civilidade no SPFW




Terminou mais uma temporada e, depois de 49 desfiles, é hora de recuperar energia, fazer balanços e pensar em tudo o que vimos nesses últimos dias. Bom, de moda eu falo já, já - sei que quase todo mundo já falou, mas fazer o quê, né? A vida anda corrida...

E, se excluirmos a moda, ainda há muito o que falar. Vou fazer uma listinha do que me chamou a atenção nesses dias lotados de desfiles, novidades e surpresas...

Sim, foi uma surpresa ver que, apesar da Bienal estar lotada de lixeiras próprias para reciclagem, as pessoas "chics" que vão até lá se recusam a jogar o lixo certo no lugar certo. Será que precisa de manual de instrução? Ou o problema são os óculos escuros?!

Sentar no lugar dos outros - sem a devida permissão - também não é nada legal. Mas pensa que as "poderosas" se importam. Fiquei chocada em um desfile ao ver a quantidade de gente esparramada, na maior. Chamei a assessora de imprensa e ela me mostrou o mapa da sala. Tinham dois lugares para um veículo na fila A. Mas cinco fofas sentadas. Resumo da história: muita gente, que tinha lugar, rodando de lá para cá. E ninguém com coragem de falar nada.

E, por falar em lugar, alguém me explica porque algumas pessoas insistem em roubar brindes? Pode parecer bobagem, mas muita gente começa na bandidagem assim, de "leve". Se não é seu, não leve. É básico assim. Ah, achado não é roubado, mas não custa nada e pega superbem devolver. Perdi dois óculos nas últimas duas edições. Alguém viu? Alguém sabe? Prometo anonimato!

Furar lugar na fila do banheiro também pega mal. Assim como jogar papel no vaso. Tudo lá é antigo, gente, entope! E aí a próxima coitada da fila é obrigada a ver restos mortais de alguém ou a pisar na água esparramada no chão. Eu passei por isso. Sorte que estava de bota. Pensando bem, galocha na próxima edição!

Por favor, organização: mais cinzeiros na Bienal. Assim os fumantes - viciados e ocasionais - não vão ter desculpa para jogar bituca de cigarro no chão.

Outra coisa, importante. Regular comida é feio. Entrar em um lounge só para comer também. Mas mais feio ainda é pedir para alguém tirar foto com um brinde e depois pegar o brinde de volta. Pobre. De espírito.

Falando em lounges, que tal maneirar no volume do som? Enquanto alguns botam pra ferver, outros estão ralando. E com bate-estaca na cabeça fica difícil...

E os atrasos? Nada civilizado. Duas horas depois do horário marcado? Ah?! Sugiro a debandada total. Nem Marc Jacobs foi perdoado.

Luminosidade, pode imprimir o meu humilde manual e distribuir para os convidados - e para os taxistas também, que os que estavam trabalhando na Bienal, à noite, estavam bem mal educados - acredita que um deu uma bronca na Denise Dahdah porque nós rachamos a corrida? Tudo bem que é tarde e todo mundo está cansado, mas... educação. Vou sugerir: Educação Básica - o Filme. E, por favor, gente, contribuam com idéias. Nossa sanidade mental agradece. Porque andar de salto alto, comer pouco e trabalhar muito a gente aguenta. Mas delicadeza e civilidade é fundamental!

4 comentários:

Ale Garattoni disse...

A-DO-REI!

Sinceramente também acho que com educação todo o trabalho seria mais fácil!

bjobjo

Fê Resende disse...

hein, gentileza nas entradas das salas de desfile também é recomendável, né? que assessora-à-beira-de-um-ataque-de-nervos super gritando não só assusta na hora, mas rende pesadelos depois.
*
sensacional seu manual, renata. deviam imprimir mesmo, e deviam super grifar a parte do sitting. =)

denise dahdah disse...

ADOREI o manifesto. E assino embaixo!

E.V.E. JE PENSEE QUE.... disse...

Geeeente, rolou tudo isso mesmo? Socorro!