segunda-feira, 7 de abril de 2008

NY e Marc Jacobs



Primavera de Marc Jacobs: bonitinha, mas ordinária

Voltei sábado de uma viagem-relâmpago a Nova York. Fui a trabalho e não tive muito tempo de ver vitrines (sniff, sniff) ou fazer compras. Mas, como é de costume, passei nas duas lojinhas do Marc Jacobs na Bleecker street e...sai de lá com um tremendo bode. Primeiro, acho too much toda a muvuca - fila para entrar, consumidoras enlouquecidas, levando cinco bolsas iguais. Mas o que mais me incomodou foi a sensação de que é muita quinquilharia por nada. Afinal, não é só porque anéis (horrendos) de plástico, espelhos em formato de concha ou pingentes de poodle (super mal acabados) estão sob o aval das iniciais MJ que eles passam a ser bons. Ok, custam poucos dólares, você pode dizer (todos esses itens estão à venda por menos de US$ 20). Mas não valem o espaço na minha mala - ou no meu armário. A verdade é que nessa viagem não senti tanta vontade de fazer compras. Talvez tenha sido a concentração de energia no trabalho, o fato de estar sozinha ou a pura preguiça de carregar coisas demais. Fiquei pensando nessa tendência que não é nada nova (especialmente na França) de ter poucas e boas coisas - arrematei um blazer Margiela e uma jaqueta de couro na Saks. E só. Fiquei bem feliz da vida.

Voltando ao Marc Jacobs, em novembro passado, quando também estive em NY, li uma matéria no New York Times falando justamente dessa enorme popularização da sua marca. Por um lado, acho ótimo ter itens baratinhos de um estilista tão famoso. Por outro, realmente penso se vale a pena levar para casa tanto produto made in China só para dizer que se tem algo do estilista queridinho da América. E mais: mesmo na Marc, que não tem preços tão em conta assim (sandálias de plástico por US$ 200, blusinhas de algodão por US$ 400), senti que era o tipo de investimento que não vale a pena: o material é simples, o design, nada incrível. O que mais gostei lá? A vitrine, cheia de flores. As únicas nessa fria primavera de Nova York.

2 comentários:

Jéssica disse...

Ahhhh, Nova Iorque (:

Sammya Alves disse...

Eu sempre acreditei que uma peça boa era melhor do que várias de qualidade inferior... mas... vai entenderrr... uuahuahuahauh.... aii NY, um dia eu chego lá...

Bom post, to vendo se coloco meu blog na ativa de novo... andei muito relapsa com ele tadinho... abraços