quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

O fim de uma era

Valentino Garavani, o estilista italiano mundialmente conhecido pelo savoir faire e pelo vermelho que batizou com seu próprio nome, se despediu ontem das passarelas, depois de 45 anos na moda. O desfile de alta-costura que marcou seu adeus foi feito sob medida para guardar na memória: os tailleurs impecáveis, os cocktail dresses bordados, o fabuloso trabalho com estampas e texturas florais, os chapéus e luvas que não negam o DNA de suas clientes (finas) e a imagem final do estilista cercado por mulheres vestindo longos vermelhos. Sempre brozeado, na eterna ponte Itália-Paris, Valentino faz parte de uma geração de designers que vê a moda como sonho e não apenas como business. Com sua ausência, as salas de Haute Couture, já bem esvaziadas, ficarão mais tristes. A marca, que continua sem o seu criador, terá Alessandra Facchinetti, ex-Gucci, no comando. Tomara que ela consiga cumprir a difícil tarefa de substituir Valentino.

2 comentários:

mencken disse...

Muito bom, Renata. Mas você não acha que moda sempre foi 10% sonho e 90% business?

Renata Piza disse...

Quero muito acreditar que não!!! Mas, falando sério, acho essencial o sonho...até para ele poder ser transformado em business depois...